2020 Novembro 09

Siga aqui todas as notícias sobre as atividades da Água de Rega e seus muitos parceiros, para a pressecução do objetivo de tornar autosustentável a nossa agricultura.
stoantao.jpg

9 de Novembro, 20200

Com a colaboração da ANAS, a ADR efetuou no dia 09 de Novembro uma visita de trabalho à Ilha de  Santo Antão ,como a segunda maior ilha agrícola do país, para apresentação da Empresa e para conhecer in loco as estruturas locais, e as zonas agrícolas e as particularidades existentes nos diferentes concelhos e regiões daquela ilha. Fizeram parte da comitiva  o Presidente da ANAS DR. Miguel Moura, a técnica da ANAS Dr. Irina , dois técnicos estrangeiros (Senegalês e Mauritaniano) do Projeto de Água e Saneamento para Santo Antão, financiado pela BADEA, e o Eng. Henri Gomes do Ministério de Infraestruturas, para se inteirarem do projeto técnico e visita de terreno.

No dia seguinte, 10 de Novembro, tivemos um encontro com o Presidente da Câmara Municipal de Porto Novo, Dr. Aníbal Medina, para apresentação do Projeto de Água e Saneamento, feita pelo Presidente da ANAS, apresentando a Empresa Água de Rega o Engenheiro Henri Gomes.

No período da tarde tivemos um encontro de trabalho com técnicos da ANAS e da Delegação de Agricultura, o Engenheiro Baptista, e Dr. Nuno Rodrigues, respetivamente, que nos acompanharam para o perímetro agrícola de Tcham de Norte, um área agrícola muito bem trabalhada, com cerca de 63 agricultores utilizando um furo que produz 120 m3 /dia, distribuído por parcelas de 1,5 hectares de terreno para cultivo, tendo adotado exclusivamente o sistema de gota-gota a 100%. Com esse encontros, os agricultores locais mostraram-se muito satisfeitos e esperançosos de mais melhorias, com a previsão de mais furo, que irá possibilitar um aumentos das parcelas para o cultivo.

Passamos para Ribeira da Cruz, com um perímetro agrícola bastante bom, em que utilizam um furo com capacidade de 80m3 diários mais o armazenamento de água de nascente num reservatório para a rega, mas como a demanda de água é alta e jovens interessados na agricultura pela zona norte e na impossibilidade de existir mais furos, dadas infrutíferas tentativas de encontrar água na, existe um permanente conflito, em que a proposta dos técnicos para resolução do problema mais tarde é fazer uma barragem subterrânea do outro lado da ribeira para posterior bombagem para a zona.

Visitamos ainda a Zona de Jorge Luí, uma pequena localidade com um furo 6m3/h equipado com painel solar e que beneficia uma dúzia de agricultores, tendo estes se mostrado no encontro bastante satisfeitos.

Visitamos Tcham de Mato, uma área recém-nascida e em contínua expansão, com um furo equipado com painel solar e energia elétrica. Os agricultores praticam Rega Gota-Gota e têm rede de adução e distribuição já instalada, com possibilidade de expansão para norte. O ponto de água é gerido pela Associação de Agricultores, que demanda a presença da AdR para a referida gestão.

Visitamos Casa de Meio, com 22 agricultores, que utilizam rega gota-gota, tendo cada agricultor um contador em sua parcela e sendo o perímetro bem organizado, com alguns problemas na gestão, havendo por conseguinte necessidade, segundo os técnicos no terreno, de passar rapidamente a gestão para a Água de Rega .

No perímetro Agrícola na periferia da Cidade de Porto Novo “ Ribeirinha de António Barros “ com 12 agricultores e um furo que produz 30m3/dia, funcionando por energia solar, com gestão dos agricultores que pensam que o furo deva ser equipado com energia elétrica para aumentarem a produção de água no perímetro através do uso da energia convencional tendo em conta que a cerca de 100 metros existe uma fábrica de blocos com energia em trifásico. O presidente participou na apresentação da empresa e mostrou-se aberto à passagem da gestão para a Empresa AdR, tendo em conta as vantagens daí advenientes.

Visitamos por fim o perímetro agrícola de Ribeira Cruxinha com 20 agricultores sendo a maioria mulheres chefes de família. Também na periferia da Cidade de Porto Novo, que produz 8m3/h, equipado com painel solar e energia da Electra, cada agricultor tem aproximadamente 1,5 hectare de terreno. Reparamos que a zona não está bem gerida tendo em conta que existe uma indisciplina na utilização de água para rega em que alguns agricultores abandonaram a gota-gota e utilizam atualmente alagamento no local. Foi-nos aconselhado pela Delegação da agricultura a assumir rapidamente a gestão do mesmo para poder salvar o perímetro.

Conclusão: em Porto Novo todos os presidente das Associações são unânimes que com a apresentação da Empresa e as vantagens que daí advém devem ser criadas todas as condições para a transição da gestão para a AdR, de todos os furos na região, tendo também bem acolhido a grande novidade concernente á criação de oportunidades para operadores de rega, que serão isentos nos referidos perímetros para a gestão da rega.

Dos encontros que tivemos com o apoio do Sociólogo Nuno Rodrigues, membro da Delegação, que conhece muito bem as perímetros e como lidar com os agricultores de São Antão, pretendemos convidá-lo para ser o nosso ponto focal na região norte do país (Santo Antão; São Vicente e São Nicolau).

Na visita estivemos acompanhados também pelo Engenheiro Baptista da ANAS, o qual tem um profundo conhecimento da região e dos pontos de água existentes em toda a ilha de Santo Antão.

Na manhã do dia No dia 12 partimos para o Concelho do Paul, para um encontro na Câmara Municipal, representado por três vereadores para uma visita de cortesia e acompanhamento do Projeto de Água e Saneamento de Santo Antão. Em Ponta do Sol fizemos uma visita de cortesia  ao Sr. Presidente da Câmara da Rª. Grande, para falar um pouco sobre a empresa água de Rega e a vantagem de sua presença na ilha. A impressão é que ele parece reticente sobre a implementação da empresa na região da Ribeira Grande, tendo até considerou que devemos estar preparados para “ Uma Segunda Reforma Agrária” e pelo que constatamos, nem ele mesmo dispunha de informações sobre as vantagens da AdR para os agricultores da ilha. Após sairmos da Câmara visitamos alguns furos, tanto mistos como de irrigação, na Ribeira da Torre e Coculi. Tivemos ainda encontros com alguns agricultores e proprietários de terra onde tivemos oportunidade de explicar os objetivos da empresa e os benefícios e convidá-los para participarem na apresentação.

Na parte da tarde fomos visitar a Barragem de Canto Cagarra com a presença do técnico da delegação de agricultura de ribeira grande, Eng. Orlando Delgado. Verificamos que existe uma boa quantidade de água, com os seus reservatórios prontos para ser utilizados e os tubos de adução em condições, mas segundo as explicações dos técnicos existe um problema elétrico com cabos na barragem que tem que ser ultrapassado para efetivamente a gestão possa ser efetiva.

Os agricultores da zona da barragem e os técnicos que nos acompanharam aclamam para a utilização urgente da água da mesma porque existe uma grande perda do mesmo e que o caudal do mesmo vem baixando dia por dia. Deve-se rapidamente junto da Electra ultrapassar esse problema para que a barragem esteja em condições de poder ser utilizada a água para agricultura

No dia 13, estivemos logo pela 8:30h no Gabinete Técnico Intermunicipal para apresentar a AdR, com uma boa aderência dos Presidente das Associações e proprietários previamente convidados pela Engenheira Paulina, delegada da ANAS em Santo Antão.

Procuramos apresentar as vantagens que os agricultores terão com a presença e gestão da empresa, os objetivos estratégicos e as vantagens para os agricultores e o mais importante, explicar que a empresa não irá tomar posse de nenhuma nascente e que os mesmos agricultores continuarão com os seus direitos adquiridos relativamente ao horário de rega, sendo contudo nossa intenção reduzir o desperdício da água, melhorar as levadas e o armazenamento da água para a sua melhor utilização, passando no entanto a manutenção dos furos para a AdR, ocupando-se eles apenas e exclusivamente da agricultura. Aparentemente dispunham de informações, anteriormente obtidas, distorcidas, tendo acolhido e concordado que a gestão passasse urgentemente para a gestão da AdR, após esclarecimentos por parte do Sr. Presidente da ANAS.

Conclusão: o encontro com os presidentes das associações dos agricultores da região de Paul e Ribeira grande ultrapassou as nossas expetativas, tendo inclusive tido a cobertura por parte da TCV, a pedido de desconhecidos, com agricultores se prontificando para falar dos benefícios da Empresa e as vantagens que ela trará e a solução que representa para operadores de rega independente, evitando conflitos desnecessários entre os agricultores.

Entretanto haverá em Dezembro próximo um grande trabalho de triagem e arbitragem a ser feito junto de alguns agricultores da Ribeira Grande e Paul, que se consideram donos legítimos das nascentes.

Aproveitamos para agradecer o apoio do Presidente da ANAS e a sua estrutura na Região Norte na pessoa da Engenheira Paulina e do Engenheiro Baptista, na abertura do caminho para a conquista da referida região, a Delegação de Porto Novo na pessoa de Dr. Nuno Rodrigues e a Delegação de Ribeira grande o Engenheiro Orlando Delgado pelo apoio nas visitas e nos encontros de sensibilização dos agricultores.